Introdução Alimentar

Por Nathália Donato
Crédito das fotos: Flávia Saad

Nascer, aprender a mamar e, seis meses depois, conhecer os alimentos e aprender a comer. A fase da introdução alimentar é o momento em que você começa a apresentar ao seu filho o mundo das frutas e comidinhas e costuma ser bastante aguardado pelas mamães e papais.

Se você está chegando a essa fase, algumas dicas de ouro da Chefe de Papinha podem te ajudar a ter uma introdução alimentar de sucesso.

1) A idade ideal para a introdução alimentar é a partir dos 6 meses de idade, mas nem todos os bebês estão prontos para comer assim que completam seis meses. Por isso, RESPEITE o tempo de aceitação e adaptação do seu filho. Tudo bem se o filho da amiga abriu o bocão para a primeira papinha e o seu filho ainda não come depois de duas semanas. Fique tranquila que no tempo dele, ele vai comer.

2) Jamais bata a refeição principal no liquidificador ou processador, na ilusão de que seu filho vai comer melhor assim. Os bebês devem ser incentivados a mastigar desde o início, mesmo que ele demore alguns dias para aceitar a comida desta forma ou que coma pouco. Portanto, a papinha deve ser somente amassada com o garfo ou você pode apresentar os alimentos bem cozidos e macios, para o bebê segurar com as mãos e comer.

3) Variar, variar e variar. Nada de cardápio muito repetitivo. Os bebês precisam conhecer a variedade de alimentos que a NATUREZA oferece. Isso vale para as frutas e os componentes da refeição principal. Importante lembrar que alimentos industrializados não entram nessa fase. Seu bebê deve conhecer o sabor de comida de verdade.

4) Evite usar artifícios que a indústria cria com o objetivo de “facilitar a vida da mamãe”, mas que podem prejudicar a introdução alimentar. Seu bebê não precisa de uma redinha para você colocar a fruta dentro e ele chupar. Ele tem que chupar a fruta de verdade.

5) Engasgos podem fazer parte do processo, mas é importante manter-se tranquila e não deixar que o medo de engasgo te impeça de incentivar a mastigação. Esteja SEMPRE por perto quando seu filho for comer, mas não ofereça somente alimentos totalmente batidos, processados e quase líquidos.

6) O bebê NÃO PRECISA comer um prato imenso de comidinha, principalmente no início. Cada bebê é único e o momento é de INTRODUÇÃO alimentar, portanto, ele está conhecendo os alimentos. Aos poucos o próprio bebê vai aumentando a quantidade de comida por refeição, no tempo dele, de acordo com a saciedade dele.

7) Livre-se de distrações na hora da refeição como tablets, televisão e celular. Esse é um momento prazeroso entre você e o seu filho, e deve ser um momento relaxante, gostoso, de experimentação. Coloque o bebê no cadeirão no local aonde costumam fazer as refeições da família e dedique esse tempo a vocês.

8) Jamais FORCE um bebê a comer. Se ele está demonstrando sinais claros de que está satisfeito, RESPEITE. Nunca dê fruta ou papinha a um bebê que está chorando, visivelmente irritado. Mais tarde, quando ele estiver tranquilo, você tenta novamente.

9) Deixe seu bebê se lambuzar! Crianças que se sujam comem melhor e criam uma relação mais bacana com os alimentos. Deixe os alimentos ao alcance dele para que ele pegue com as mãozinhas.

10) Não fique na papinha amassada por muito tempo. Lembre-se que seu bebê deve ser incentivado a mastigar e a conhecer os alimentos em suas diferentes texturas. Muitos bebês aos 8 meses já querem comer na mesma consistência da comida normal da família e tudo bem.

Se você continua cheia de dúvidas sobre introdução alimentar, no dia 27 de agosto a Chefe de Papinha estará em São Paulo para o Workshop de Introdução Alimentar na Casa de Viver.

Para se inscrever, basta clicar em https://www.sympla.com.br/workshop-de-introducao-alimentar__82161 ou enviar um e-mail para chefedepapinha@gmail.com.

Para ficar sabendo de toda a programação da Casa de Viver, inscreva-se em nosso mailing!

Deixe Seu Comentário

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta