Comidas Saudáveis

A primeira coisa que se perde nas férias são os horários. A criança acorda mais tarde e a primeira dúvida do dia é: começar pelo café e fazer todas as refeições mais tarde ou pular direto para o almoço? E se rolar café tarde, como garantir que ela tenha fome no almoço?

A Dra. Juliana Kramer, do Vilarejo Centro Humanizado de Nutrição Infantil, explica que o ideal é que a criança não saia da rotina totalmente, pois na volta às aulas pode ficar um pouco mais difícil para recuperar essa dinâmica. “A família pode fazer como está acostumada aos finais de semana: se a criança acordou mais tarde o ideal é que ela tome o café da manhã, pois é um hábito importante a ser mantido e esperar pelo menos 3 horas para a próxima refeição, para que o almoço não seja comprometido”. Em ambos os casos é importante garantir o consumo balanceado de todos os grupos de alimentos: carboidratos, leguminosas, proteínas, verduras e legumes. O ato de pular refeições, segundo a nutricionista, é altamente desaconselhável.

Então você se organiza, mantém frutas e salada sempre à mão e segue uma rotina organizada. Quem tem filhos sabe que isso não é fácil, e é preciso preparo zen-budista para conter a frustração na hora em em que aparece um tio ou avô com uma bolachinha (ou pote de sorvete, ou refrigerante ou panetone) na mão acenando para o seu filho. Neste caso é importante que os pais tenham um posicionamento bem definido com relação a esse tipo de alimento, e que expliquem aos envolvidos nas ofertas o malefício desses “agrados”.

Juliana sugere apresentar à família opções de comidinhas que sejam gostosas, inteligentes e práticas. Por exemplo: fazer sucos naturais e congelar (quando sair para o passeio, é só tirar do freezer e colocar na bolsa); criar geladinhos e cremes de frutas batidas, sem açúcar; fazer receitas de biscoitos saudáveis junto com a criançada (ir para a cozinha pode ser uma atividade bem bacana) ou comprar alimentos industrializados que não sejam tão nocivos à saúde (sim, eles existem!). Na hora de servir, usar cortadores e palitos divertidos, pratos coloridos e afins.

Uma alternativa mais firme e simples é não ter em casa alimentos indulgentes, mas é impossível (e extremamente indelicado) manter este controle na casa alheia ou em um espaço coletivo como uma casa alugada. Assim, quando outras crianças consomem pacotes de salgadinho e chocolates regularmente na frente do seu filho, é bom ter uma estratégia em mente.  Juliana acredita que não há o que temer, pois o bom hábito é formado em casa. “Mantenha as refeições nos horários corretos. Assim, mesmo que queira experimentar o biscoito do primo, estará com a barriga cheia e precisará só de um ou dois para se sentir satisfeito. Além disso, tenha sempre frutas à mão e promova o marketing dos alimentos saudáveis”. Outras dicas são:

  • Não deixe o seu filho com fome (para não querer comer o “pacote todo”)
  • Explique que alguns alimentos devem ser consumidos em pequenas quantidades.
  • Não minta dizendo que vai dar dor de barriga (provavelmente não dê e você vai passar por mentirosa).
  • Não seja radical (do tipo: é proibido comer isso).

E se o seu filho é o caso oposto, ou seja, não quer comer nada? Pode ser impressão. No verão é normal comer menos, mas desde que a criança não tenha pulado refeições, tenha comido alimentos de todos os grupos e não esteja fazendo substituições erradas (deixa de almoçar porque comeu biscoitos logo antes, por exemplo), está tudo bem. A regra é: a qualidade da alimentação e seus horários são sempre definidos pelos adultos. Porém, a quantidade quem define é a criança. “Menos expectativa, mais observação”, resume a nutricionista.

Confira na galeria abaixo algumas ideias divertidas de apresentação de comidas saudáveis.

Deixe Seu Comentário

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta