Woodbike

Benício tem dois anos e meio. No condomínio onde mora, gosta de descer as ladeiras com sua bicicleta, fazendo manobras radicais. Duas coisas chamam a atenção na atividade: quem aprendeu a pedalar com rodinhas de apoio sabe que uma simples descida em “s” seria impossível com elas, pois as rodinhas não permitem curvas fechadas sem causar o tombamento do conjunto bicicleta + criança. E quem nunca viu uma bike de equilíbrio em ação também pode ficar impressionado com a tenra idade do pequeno e sua incrível desenvoltura. Como pode?

A mãe de Benício, Camila Santiago Torres, conta que como o garoto começou a andar cedo, com 10 meses, em seu aniversário de um ano ela e o marido acharam que era já hora de uma bicicleta. “Mas eu percebi que ele não tinha naturalmente o instinto de pedalar. No parque via a das outras crianças, pedia para andar, sentava e não sabia o que fazer. Então fui pesquisar e descobri essa bicicleta pedagógica, sem pedais, que desenvolve primeiro o equilíbrio e a noção de espaço e velocidade. É um desenvolvimento bem mais completo do que o da outra (com rodinhas de apoio)”.

Assim, desde que completou um ano de idade Benício vêm explorando as bikes sem pedais, que ensinam a criança a se equilibrar antes de aprender a pedalar. E no desenvolvimento psicomotor – termo empregado para uma concepção de movimento organizado e integrado em função das experiências vividas – essa inversão de ordem faz toda a diferença.

“Do ponto de vista neurológico, antes dos 4 anos uma criança não está apta para pedalar”, explica a Presidente do Comitê de Neurologia Infantil da Sociedade Mineira de Pediatria, Marli Marra (em entrevista ao Site Uai, de BH). A especialista garante que apenas a partir dos 4 anos, quando a criança consegue subir e descer a escada alternando os pés e sem apoio, é que ela está preparada para cumprir essa função.

A ONG Bike Anjo corrobora essa teoria. Para eles, “a melhor dica para aprender à pedalar é dominar o equilíbrio sem se preocupar com os pedais. A partir do domínio do equilíbrio dinâmico ou estático se pode trabalhar todas as demais habilidades do futuro ciclista”.

Foi o que Camila percebeu na prática. “No fim compramos uma Woodbike, que é de madeira e tem 3 estágios: triciclo (também sem pedais) e depois duas alturas de bicicleta. O Benício andou no triciclo por quase um ano e um dia, numa loja de esportes, viu uma bike de equilíbrio montada, pegou e saiu andando. Foi quando passamos a dele para o segundo estágio (que aparece no vídeo). Agora acreditamos que ele andará nela por mais um ano ou dois e depois fará a transição para uma bicicleta tradicional, mas sem as rodinhas de apoio, sem sofrimento algum, sem quedas desnecessárias e sem traumas. Com a parte motora já bem desenvolvida, pedalar vai ser fácil”.

Para quem acha que a bike de equilíbrio é moda, uma surpresa: ela foi criada em 1917, criada por Karl Drais, um inventor alemão. Desde então, foi usada ludicamente por adultos e crianças no mundo todo.

(Quer ganhar uma dessas para o seu filho? Clique ​aqui e concorra!)

Deixe Seu Comentário

Loading Facebook Comments ...

Deixe uma resposta